quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Fim da gravidez e nascimento da Olivia

Estou de volta aqui para atualizar o blog sobre o resto da gravidez da Lidy.

Eu juro que pensei que o blog estava mais atualizado, mas quando vi o ultimo post sobre esse assunto até me assustei.
A última atualização foi sobre o fato de termos um Obstetra. Isso aconteceu há 712 anos.

Tenho muita coisa para contar sobre o assunto. Então vou avisando que esse post vai ser imenso.

Vamos nessa:

* Sobre as consultas com o obstetra: nossa primeira consulta foi um sucesso... Adoramos o médico. Tem coisas que são difíceis de explicar. Mas, por um motivo qualquer que desconheço logo de cara gostamos e sentimos muita firmeza no Dr. Chow.
Logo de saída ele aconselhou uma cesárea. Ele disse que talvez fosse mais seguro pelo fato do primeiro filho ter sido assim. Mas, deixou a decisão em nossas mãos. Eu particularmente já queria cesárea mesmo, mas como não sou eu que vou entrar na faca, deixei o parecer final pra Lidy. Lidy resolveu seguir o conselho do médico.
As consultas se tornaram mensais, quinzenais e semanais e o parto foi marcado para o dia 26 de novembro. Alguns exames foram feitos no período. Praxe...
Em uma dessas consultas recebemos uma informação que não foi das melhores: o parto não seria feito necessariamente pelo nosso médico, mas por qualquer médico da equipe do Dr. Chow que estivesse de plantão no dia. Não é uma situação muito confortável, porque você não conhece os outros médicos da equipe. Mas como eles dizem aqui It is what it is....
Custo das consultas e exames: CAD 0.00


* Complicações pré-parto: Lá pela semana 36, Lidy começou a sentir uma dor de cabeça que nao passava. Nos empirulitamos para o hospital. Pressão estava alta... Os médicos ficaram preocupados e cogitaram uma cesárea de emergência. Chamaram então o médico de plantão (que fosse da mesma equipe do medido da Lidy). Conhecemos então o segundo, nesse caso segunda, médica da equipe do Dr. Chow. Ela resolveu internar a Lidy e controlar a pressão. De novo sentimos confiança na médica e na decisão dela. Apesar dela ter insistido em perguntar a Lidy se eu tava estressando ela. Lidy passou dois dias no hospital. Eu sempre estresso a Lidy, mas não a ponto de subir a pressão, eu acho.
Sobre a estadia no hospital o que nos chamou muita atenção foram as enfermeiras.
Sério, fiquei impressionado pela doçura, cuidado, educação e conhecimento das enfermeiras. As enfermeiras canadenses tem muito mais responsabilidades com os pacientes que as enfermeiras no Brasil-il-il e apesar disso são muito mais prestativas.
Antes que as enfermeiras brasileiras que lêem o blog fiquem com raiva (alguém ainda lê esse blog???), eu sei que nem todas as enfermeiras tupiquinins sao ignorantes. Mas, você tem que concordar que a maioria trabalha com cara de quem chupou limão. Talvez maltratadas pelos baixou salários ou por médicos prepotentes.
Antes que os médicos brasileiros que lêem o blog fiquem com raiva (você ainda lê esse blog???), eu sei que nem todos os médicos são prepotentes.... bom você sabe o final.
Lidy foi pra casa, mas o médico inscreveu ela num programa de acompanhamento domiciliar.
Custo da internacao: CAD 0,00

* Acompanhamento domiciliar: minha cabeça brasileira ainda me trai. Eu sinceramente achei que esse acompanhmento domiciliar não ia servir pra nada. Um dia depois de termos voltado para casa, a enfermeira liga marcando a hora que estaria em nossa casa.
Vou dizer uma coisa... Fiquei de queixo caído de novo! A primeira visita durou 2 horas. Ela fez uma análise completa, passou um monte de orientação, montou um calendário de visitas e ainda deixou uma máquina de medir pressão.
Ela explicou como medir a pressão e em que situação deveríamos voltar ao hospital.
Ate a Olivia nascer, essa enfermeira voltou umas 4 vezes, cada visita não durou menos de 40 minutos e ela ligou todos os dias.
Custo do programa: CAD 0.00

* Retornos ao hospital: Ainda voltamos ao hospital mais duas vezes, uma por causa da pressão, visitinha rápida de 7 horas. A outra para o nascimento da Olivia.
Nessa visitinha rápida conhecemos a outra medica da equipe. Ela entrou na sala avisando que estava na hora do parto. Ficamos olhando um pra cara do outro e para a cara da médica. Até que a enfermeira avisou para ela que aquela era a sala errada.
Putz.... ponto negativo para a equipe do Dr. Chow. Fomos para casa com a esperança que no dia da Olivia essa não fosse a médica de plantão. Ela era uma senhorinha de uma certa idade super simpática, mas esse "pequeno" engano nos deixou com o pé atrás.
Internamente passamos a se referir a ela como Dra. Alzheimer.

* Nascimento da Olivia: Depois dos episódios de pressão alta pensamos que o médico anteciparia o parto. Mas, a pressão se normalizou, entao Dr. Chow deixou no dia 26 mesmo.
Apesar de estarmos ansiosos e cansados da tensão de ficar controlando a pressão, resolvemos relaxar.
Mas a Olivia não. Entre os dias 17 e 18 de novembro fui para a cama às 11 da noite. Meia-noite acordei com a Lidy avisando que a bolsa tinha rompido.
- Tem certeza? - perguntei.
Certeza, certeza, ela não tinha, mas pra sair aquela quantidade de água só se ela tivesse 712 bexigas.
Pega as coisas, acorda o menino, deixa o menino na casa de amigos e vai pro hospital. Chegamos lá por volta de 1:30. Ao mesmo tempo que explicava que a Lidy tava parindo, eu tentava ler no quadro quem era a médica de plantão. Não era a véia doida, mas também não era o medico da Lidy. Era a outra que pensava que eu estressava a Lidy.
Então começaram os preparativos da Cesárea. Sim, mesmo entrando em trabalho de parto, fomos para a cirurgia. Deal é deal cumpadi.
Aqui, o pai, no caso, eu (como diz meu pai, pai é quem cria e compra o leite) também pode assitir ao parto. Fi-lo.
Tudo correu bem e as 3:13 vinha ao mundo a primeira Moreira nascida no Canada - Olivia.
Para não dizer que tudo foi perfeito uma das enfermeiras foi bem chata para ajudar na coleta do sangue do cordão umbilical. Ela colheu, mas nem olhou pra mim quando pedi ajuda para quardar o material corretamente e preencher alguns formulários. A excessão que confirma a regra. Talvez ela tivesse baixo salário e fosse maltratada por algum médico prepotente vindo de um país do terceiro mundo. Vai saber... Liguei o botão foda-se e segui em frente.
Custo da cirurgia: CAD 0.00

* Pós-parto no hospital: Aqui Cesarea deixa a mãe no hospital por dois dias. Lidy optou por ficar no quarto. A saúde pública oferece enfermaria, quarto tem que pagar a diferença. Fiquei com medo de entrar pelo cano, mas a Lidy quis. Com o botão Foda-se ainda no ON, fomos para o quarto.
No começo, achei uma merda esse negócio de 2 dias no hospital. De novo meu brasileirismo... Mas hoje quando olho para trás, acho que foi ótimo. Tivemos o melhor acompnhamento possível. Mais enfermeiras incríveis que fiz questão de elogiar nominalmente quando preenchi o papel sobre como fui atendido. Tivemos as tradicionais visitas da médica que fez o parto, do médico da Lidy, do pediatra e da consultora de amamentação. Sério...consultora de amamentação.
Depois de dois dias na hora de sair, fui pagar a conta do quarto. Perguntei o valor, fechei os olhos, trinquei os dentes e apertei a bunda. 80 dólares.
- hein???
- 80 dólares senhor.
Paguei meio atônito. Detalhe posso pedir reembolso porque a empresa que trabalho tem extensão de plano de saúde.
Custo da internação: CAD 80.00.... hein???? 80 dólares senhor....

* Primeira semana: pensa que acabou? Ainda não. Com dois dias, uma enfermeira ligou a agendou uma visita. Ela foi lá em casa pra saber se estava tudo bem. Levou uma balança para pesar a Olivia, perguntou como estava as mamadas, ouviu pulmão e coração, verificou como a Lidy estava e quando eu sai de perto para pegar alguma coisa no outro quarto, ela ainda perguntou se eu tava sendo um bom marido. Acho que tenho cara de quem bate na Lidy.
Ainda nos pediu que fossemos no setor de recém nascidos de um urgent care perto da nossa casa depois de 2 dias para que outra enfermeira verificasse tudo de novo.
No fim da primeira semana ainda tivemos a consulta com o nosso médico de família.
Ainda tem mais... Em um post anterior eu falei do Health Link. Pois é, tem um Health Link especial só para bebes de menos de 2 meses.
Custo: CAD 0.00.

Algumas outras curiosidades:

- Certidão de Nascimento - antes de sair do hospital você preenche um papel de registro do seu filho(a) e entrega na recepção. Com uma semana recebemos o Health Card, com duas o SIN number. Na quarta semana você vai em um cartório (aqui chamado de Registry) e solicita a certidão de nascimento. A certidão chega com 7 dias no seu endereço. Custo: 37ish dólares.
- Calça Molhada - Lidy chegou no hospital e a temperatura estava -15. Não da Lidy, da cidade. Estaria tudo bem, mas a calça molhada pela água da bolsa estourada, causou uma ligeira friagem na coitada.
- A médica que fez o parto era um capítulo a parte. Difícil descrever, mas ela tinha um estilo meio, sei lá, difícil descrever. Acho que foi a pessoa certa para trazer um Moreira ao mundo.
- Lidy teve uma pneumonia causada pela aspiração de alguma coisa, comum em caso de cesárea. Essa pneunomia apareceu quando já estávamos em casa e complicou um pouco a logística da gente. Mas, foi facilmente tratada com antibiótico.
- A importância de ter amigos: tivemos todo o tipo de apoio. Pessoas que ficaram com o Levi, que cuidaram da minha casa enquanto estavámos no hospital, que levaram um monte de comida pronta para que gente não tivesse mais coisas para fazer em casa. Não vou citar nomes para não cometer a gafe de esquecer algum desses anjos. Vocês sabem quem são.
À todos que ajudaram, que tentaram ajudar mas não tiveram a oportunidade ou que pensaram em nós, nosso muito obrigado. Espero pode retribuir.

Ufa... acho que em geral falei tudo que a minha própria memória arrasada pelo excessos da juventude pode lembrar.

Se alguém tiver dúvida é só perguntar que respondo.... Eventualmente...

Agora, quase dois meses depois estamos tentando ser pais de um bebê. Tudo fica mais difícil agora que estou alguns anos mais gordo e alguns kilos mais velho.

P.S. Não sei se nas outras províncias canadenses o acompanhmento e serviços prestados são os mesmos.

7 comentários:

Tania Vianna disse...

Parabéns pela volta ao blog e claro pela bebezinha...
COMO ENFERMEIRA.... ,já viu né?!
Brincadeira, seu que a minha turma sofre muito com as questões que envolvem a prática da enfermagem. Nós ,realmente, temos ainda uma looonggaa jornada no BR, pra mudar e conquistar melhores tudo, condições de trabalho, conhecimento, relação com médicos, administradores e pacientes.
Aqui o problema deles é pouca mão de obra, daí o incentivo a imigração. Mesmo a sobre carga de trabalho deles aqui, não chega a situação surreal q é no BR.
Enfim, chega de falar de enfermagem... Sejam super felizes, um ano Novo de muitas vitórias...

Brazilian Family from Ceará disse...

Boa Kaka,
Amei o post...e me deu mais vontade ainda de SER ENFERMEIRA no Canadá!! Eu que especificamente sou Enfermeira Neonatologista e trabalhava também com follow-up e amamentaçao...sei direitinho como é trabalhar aqui no BR nessa área e o quanto almejo trabalhar nessa área no Canadá. Vc me mostrou possíveis áreas de atuaçao em Calgary. Mais uma vez, parabéns pela pequena Olivia e que Deus lhes dê sabedoria para educar essas duas crianças!!! Manda um grande abraço pra Lidy e bjs nos 4!!! Feliz 2013...by the way!!!

Denize

Diário Canadá Brasil disse...

Carlos,
Adorei o seu post.
Obg por contar um pouco da sua experiência.

Mauricio Fagundes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mauricio Fagundes disse...

Oi família, tudo bem? Também somos uma família de quatro integrantes e moramos atualmente em Santa Catarina. Temos planos de ir para Calgary, li muito e muito bem sobre o boom de oil & gas em Alberta, e como sou profissional de compras e supply chain com certa experiencia, creio que não será tão difícil conseguir uma colocação. Vejamos no futuro... hehehe. Vocês poderiam por favor nos auxiliar um pouco quanto a questão de bairros bons para família, escolas para nossos pequenos (por enquanto só a Fê, 3, que vai para o colégio), e outras questões da "rotina"? Espero não tomar muito seu tempo, sei como é ter um bebê novo em casa. Li o blog até meados de 2010, então acho que já to sabendo bastante da vida de vocês rs rs rs! Um abraço e GO FLAMES!

Priscilla, Mauricio e João Pedro!! disse...

Parabéns pra vcs! Que a Olívia encha de alegria o lar de vcs !!
Feliz 2013!!

Pri, Mau e JP.

Ellen Cristina disse...

Eu sou apaixonada por este blog!!! Amo muito tudo isso.
Beijo a toda família.